Rádio Club – Paraí RS

Rádio Club FM da cidade de Paraí, Rio Grande do Sul

Cientistas regeneram cartilagem que facilita movimentos

Uma equipe de cientistas da Universidade de Stanford, EUA, descobriu uma maneira de regenerar a cartilagem, que facilita o movimento entre os ossos.

Eles usaram sinais químicos para orientar o crescimento das células-tronco esqueléticas à medida em que as lesões na cartilagem cicatrizam – nos humanos, essas microlesões ocorrem no processo de desgaste da substância.

O estudo científico está publicado na Revista Nature e, além dos camundongos, o processo funcionou em tecidos humanos em laboratório.

Com isso, o próximo estágio da pesquisa será conduzir experimentos semelhantes em animais maiores e, tendo êxito, iniciar os testes clínicos em humanos.

A perda dessa camada de tecido escorregadia e absorvente de choque, chamada cartilagem articular, é responsável por muitos casos de dor nas articulações e artrite.

“A cartilagem tem potencial regenerativo praticamente zero na idade adulta, então, uma vez ferida ou desgastada, o que podemos fazer pelos pacientes tem sido muito limitado.

É extremamente gratificante encontrar uma maneira de ajudar o corpo a regenerar este importante tecido,” disse o professor Charles Chan, coordenador da equipe.

Mobilidade

O experimento usou uma substância, chamada proteína morfogenética óssea 2 para iniciar a formação óssea após a microfratura.

“Chegamos a uma cartilagem feita do mesmo tipo de células da cartilagem natural, com propriedades mecânicas comparáveis, ao contrário da fibrocartilagem que geralmente obtemos,” contou Chan.

“Ela também restaurou a mobilidade de camundongos com osteoartrite e reduziu significativamente a dor deles.”

Células-tronco

O trabalho se baseia em pesquisas anteriores que resultaram no isolamento da célula-tronco esquelética, uma célula que se auto-renova e também é responsável pela produção de ossos, cartilagens e um tipo especial de célula que ajuda as células do sangue a se desenvolverem na medula óssea.

Naquele trabalho anterior, a equipe constatou que, à medida que o osso se desenvolve, as células devem primeiro passar por um estágio de cartilagem, antes de se transformar em osso.

Eles tiveram então a ideia de que poderiam encorajar as células-tronco esqueléticas da articulação a iniciar um caminho para se tornarem osso, mas interromper o processo no estágio de cartilagem.

Com informações do Diário da Saúde

Deixe uma resposta