Rádio Club – Paraí RS

Rádio Club FM da cidade de Paraí, Rio Grande do Sul

Redes de fast-food do mundo todo liberam receitas secretas. Faça em casa!

Restaurantes e redes de fast food passaram a divulgar algumas das receitas de suas criações mais icônicas — muitas delas mantidas em segredo por anos.

Nesses tempos de distanciamento social, em que as pessoas já não podem sair para comer nos seus lugares preferidos, muitos estão sentindo falta dos pratos que podiam degustar livremente antes da atual pandemia: aquele hambúrguer da rede de fast food favorita, a mousse de chocolate do chef famoso.

Mas a boa notícia é que, imbuídos de um atual sentimento de solidariedade, restaurantes e redes de fast food passaram a divulgar algumas das receitas de suas criações mais icônicas — muitas delas mantidas em segredo por anos. Tudo para incentivar as pessoas a ficarem em casa e para manter uma relação com seus clientes, mesmo que a distância.

Por muito tempo, pessoas tentaram replicar essas receitas famosas em casa: e até ensinar como chegaram próximo do resultado esperado. Mas trata-se, na maioria das vezes, e como mostram muitos canais no YouTube, de uma experiência empírica, de tentativa e erro.

Agora, de posse das receitas originais, as reproduções caseiras ganham novo patamar.

Segredos revelados

No final de março, o Burguer King da França criou um divertido cartaz em que listava os ingredientes para o seu famoso Whopper, mas utilizando produtos de supermercado que qualquer pessoa poderia encontrar e tentar reproduzir em casa.

Pão, cebola, picles, ketchup, hambúrguer, maionese, alface, tomate. “O seu Whopper da Quarentena”, dizia a campanha, que depois incluiu outros sanduíches populares da rede. Mas embora simpática, a ação não trazia o modo de preparo.

Comidinhas da terra da rainha – e não é “fish and chips”

Não demorou muito para que a resposta do maior concorrente viesse: o McDonald’s, uma das redes de fast-food mais populares do mundo, divulgou um passo a passo de como fazer o seu famoso McMuffin de ovo e linguiça em casa. O sanduíche, servido no menu de café da manhã da rede em diversos países, é um dos itens mais vendidos, principalmente desde que a empresa substituiu a margarina por manteiga.

Em tempos de quarentena, o McMuffin virou assunto no Twitter, com os usuários da rede trocando ideias de como tentar reproduzir a iguaria nas suas cozinhas. Em resposta, o McDonald’s divulgou na rede a receita completa, não só a lista exata de ingredientes, mas sobretudo as instruções.

Não foi a primeira vez, aliás, que a rede liberou um de seus mais bem guardados segredos ao público: em 2012, depois de uma discussão acalorada em fóruns virtuais sobre como era feito o molho do Big Mac, o próprio chef executivo do McDonald’s, Dan Coudreaut, gravou um tutorial no YouTube ensinando a reproduzi-la. O vídeo teve quase 7 milhões de visualizações.

Com a iniciativa do McDonald’s, outras redes pegaram carona, e decidiram tornar públicas suas receitas, numa espécie de onda solidária da gastronomia. Na Inglaterra, o Pret A Manger emocionou seus clientes ao revelar a cobiçada receita de seu cookie de chocolate.

No Facebook, a popular cadeia de comida fresca “para pegar e levar” revelou que havia sido “inundada” com pedidos da receita desde que o bloqueio no Reino Unido foi imposto pelo governo devido ao surto da Covid-19, o que levou a rede a fechar todas as suas lojas.

A receita divulgada leva apenas sete ingredientes (entre eles manteiga sem sal, açúcar demerara e gotas de chocolate amargo) e é um incentivo do Pret A Manger aos “assadores profissionais de temporada” para se dedicarem mais horas na cozinha.

Também na Inglaterra, outro restaurante causou comoção com o compartilhamento da receita de um de seus pratos mais amados: o Wagamama decidiu tornar a quarentena dos ingleses mais feliz com a receita de seu famoso Chicken Katsu Curry (um curry de frango empanado).

Na semana passada, foi a vez da Ikea, a descolada rede nórdica de decoração, agradar centenas de foodies com a publicação de suas famosíssimas almondegas com creme sueco. Mesmo que o foco da varejista sejam os móveis e artigos de decoração, os pratos que serve em seus restaurantes próprios ganharam o carinho dos clientes.

Mas foram as almôndegas que se tornaram um cult — com direito a reprodução até de chefs famosos.

Os ingredientes e as etapas da receita seguem a linguagem minimalista das instruções de montagem de móveis da empresa. E embora ela não seja a versão exata da servida nas lojas da Ikea em todo o mundo, é a alternativa perfeita para matar as saudades das “originais”.

“Nossas receitas de almôndegas ‘reais’ e molho de creme sueco continuam sendo um segredo bem guardado, conhecido apenas por nossos cozinheiros selecionados. No entanto, não poderíamos privar as pessoas de sua dose de almôndega, por isso fizemos uma alternativa quase tão deliciosa que pode ser facilmente feita em casa”, disse a gerente de alimentos da Ikea, Lorena Lourido, à imprensa inglesa. “Esperamos que ela preencha uma lacuna até que possamos nos encontrar novamente”.

Hambúrguer de luxo

Agora, até mesmo chefs consagrados parecem ter sido acometidos por esse senso de generosidade culinária e resolveram partilhar algumas de suas receitas.

Nicolas Sale, a frente do Ritz Paris, um dos mais luxuosos hotéis da capital francesa, decidiu tornar público o modo de preparo do hambúrguer com batatas doces fritas que mata a fome dos hóspedes endinheirados na madrugada e faz a cabeça de visitantes que se dispõem a pagar algumas dezenas de euros para abocanhar o sanduíche no elegante restaurante do hotel.

Ideia também pegou no Brasil

No Brasil, o chef celebridade Claude Troisgros, apresentador do programa “Mestres do Sabor”, da Rede Globo, usou seu Instagram para compartilhar — e mostrar — como fazer a receita do famoso mousse de chocolate que serve nos seus restaurantes CT Boucherie e CT Brasserie, no Rio de Janeiro.

A sobremesa mais pedida das casas é feita da maneira tradicional: apenas chocolate, manteiga, ovos e açúcar. Um doce sabor pra matar as saudades dos lugares que a gente tanto gosta, e que estamos loucos para voltar a frequentar quando tudo isso passar.

Deixe uma resposta